Subscreva a Newsletter do Europe Direct Oeste!

MinutoEuropa

Encontrou a informação que procurava?

Se não encontrou, por favor, envie um e-mail para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

14390936 10154486118054280 7027236198096923693 n

 

 

A Comissão Europeia congratula-se com a avaliação independente do «Plano de investimento para a Europa» publicado pela Ernst & Young. O relatório sublinha a necessidade de reforçar, alargar e expandir o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), elemento fundamental do Plano de Investimento para a Europa. A Comissão propôs esta extensão, a 14 de setembro, no âmbito do discurso do Presidente Juncker sobre o Estado da União, a fim de consolidar os resultados já alcançados no reforço da competitividade da Europa e no estímulo ao investimento e à criação de emprego. O relatório será tido em conta no processo legislativo para a extensão do FEIE, juntamente com a avaliação da Comissão de 14 de setembro e da avaliação do BEI a 6 de outubro.
(Desenvolvimento em IP-16-3666)  

Fonte: Representação da Comissão Europeia em Portugal

Centro de Informação Europe Direct Oeste
15.11.2016

 

 

Martin Schulz é o diretor convidado da Revista CAIS de outubro
“Os políticos têm de arrumar a casa”

20161005 EP-041898A GEN 009

O Presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, é o diretor convidado da edição de outubro da revista CAIS, à venda a partir de amanhã.
No editorial, alerta para os perigos do modelo social se tornar irrelevante, caso os políticos nacionais e europeus não arrumem a casa.

Numa revista coordenada por Martin Schulz, o Presidente do PE escreve sobre a urgente necessidade de Combater a Desigualdade que corrói as sociedades atuais e que põe em questão a sua própria sobrevivência.

Nadia Murad Basee Lamiya Aji Bashar Ali Ferzat 2016 1

Nadia Murad Basee Taha e Lamiya Aji Bashar sobreviveram à escravatura sexual pelo Estado Islâmico (EI) e tornaram-se porta-vozes das mulheres vítimas da campanha de violência sexual do EI. São defensoras públicas da comunidade yazidi no Iraque, uma minoria religiosa que tem sido objeto de uma campanha de genocídio por militantes do EI. 


Em 3 de agosto de 2014, o EI assassinou todos os homens da aldeia de Kocho, cidade natal de Lamiya Aji Bashar e Nadia Murad em Sinjar, no Iraque. Na sequência do massacre, as mulheres e as crianças foram escravizadas: todas as jovens, incluindo Lamiya Aji Bashar, Nadia Murad e as suas irmãs foram raptadas, compradas e vendidas várias vezes, e exploradas para fins de escravatura sexual. Durante o massacre de Kocho, Nadia Murad perdeu seis dos seus irmãos e a mãe, que foi morta juntamente com oitenta mulheres mais idosas consideradas como não tendo qualquer valor sexual. Lamiya Aji Bashar também foi explorada como escrava sexual, juntamente com as suas seis irmãs. Foi vendida cinco vezes entre os militantes e forçada a fabricar bombas e coletes suicidas em Mossul depois de os militantes do EI executarem os seus irmãos e o pai.

Em novembro de 2014, Nadia Murad conseguiu fugir com a ajuda de uma família vizinha, que a retirou clandestinamente da zona controlada pelo EI, permitindo-lhe seguir para um campo de refugiados no norte do Iraque e depois para a Alemanha. Um ano mais tarde, em dezembro de 2015, Nadia Murad dirigiu-se ao Conselho de Segurança das Nações Unidas na sua primeira sessão sobre tráfico de seres humanos com um discurso de grande impacto sobre a sua experiência. Em setembro de 2016, tornou-se a primeira embaixadora da Boa Vontade do UNODC para a Dignidade dos Sobreviventes do Tráfico de Seres Humanos, participando em iniciativas de sensibilização globais e locais sobre a difícil situação das inúmeras vítimas do tráfico de seres humanos. Em outubro de 2016, o Conselho da Europa homenageou-a com o Prémio dos Direitos Humanos Václav Havel.

Lamiya Aji Bashar tentou fugir várias vezes até escapar finalmente em abril, com a ajuda da sua família, que contratou passadores locais. Ao fugir da fronteira curda para território controlado pelo Governo do Iraque, com militantes do EI no seu encalço, uma mina terrestre explodiu, matando duas pessoas das suas relações e deixando-a ferida e quase cega. Felizmente, conseguiu escapar e acabou por ser enviada para tratamento médico na Alemanha, onde se juntou aos seus irmãos sobreviventes. Desde a sua recuperação, Lamiya Aji Bashar tem trabalhado ativamente na sensibilização para a difícil situação da comunidade yazidi e continua a ajudar mulheres e crianças que foram vítimas da escravatura e das atrocidades do EI. 

O Parlamento Europeu apoia os direitos humanos
O respeito pelos direitos humanos é um dos valores fundamentais da União Europeia.
Qualquer violação desses direitos é lesiva dos princípios democráticos nos quais a nossa sociedade se baseia, quer essa violação ocorra dentro ou fora da UE.
O Parlamento Europeu combate tais violações através de ação legislativa, incluindo observação eleitoral, debates mensais sobre direitos humanos em Estrasburgo e a inscrição dos direitos humanos nos seus acordos de comércio externo.
Além disso, o Parlamento Europeu apoia os direitos humanos através do Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento, instituído em 1988.
Este prémio é atribuído a pessoas que tenham dado uma contribuição excecional para a luta em prol dos direitos humanos em todo o mundo, chamando a atenção para as violações dos direitos humanos e apoiando os laureados e a sua causa.

Fonte: Gabinete de Informação do Parlamento Europeu em Portugal


Centro de Informação Europe Direct Oeste
27.10.2016


O Programa Jovens Profissionais da OCDE é uma iniciativa que visa recrutar 20 economistas júnior ou analistas políticos qualificados e motivados, para trabalhar durante 2 anos em projetos ligados a áreas temáticas como o crescimento verde, a governança, o desenvolvimento, a inovação, as estratégias de emprego e skills.

No final do Programa, espera-se que os indivíduos selecionados sejam capazes de concorrer para outros cargos dentro da Organização.
Os candidatos devem ter nascido a ou após 1 de janeiro de 1981 e pertencer a um país membro da OCDE.

ocde



Candidato ideal:
possuir mestrado e ter no mínimo dois anos de experiência profissional em áreas afins;
interesse pelos objetivos da OCDE e pela cooperação política internacional;
aptidões analíticas e concetuais que permitam contribuir para os estudos/relatórios da Organização;
experiência com estatísticas económicas e técnicas econométricas modernas, utilização e avaliação de modelos económicos aplicados é um requisito para certas tarefas;
fluência escrita e oral numa das duas línguas oficiais da OCDE (inglês e francês);
o conhecimento doutras línguas é uma vantagem.

Os candidatos começarão a trabalhar durante o verão de 2017.

Os candidatos pré-selecionados têm de realizar um teste online em dezembro de 2016 e se sucedidos serão convidados para uma entrevista.
Salário base mensal a partir de 4.430 euros, acrescidos de subsídios e isentos de imposto.

Candidatura em linha até 24 de novembro de 2016.

Saber mais

Fonte: Centro de Informação Europeia Jacques Delors

Centro de Informação Europe Direct Oeste
12.10.2016

 

 

     
 
     

Prioridades Comissão Juncker



enterprise europe network

europa imprensa regional

 

youtube

Todos os Direitos Reservados 2013